quinta-feira, 22 fevereiro, 2024

Riscos do uso exagerado da automedicação durante a folia

Compartilhe essa notícia:

A festa mais popular do Brasil está batendo à porta e muita gente foca nos preparativos para curtir os quatro dias de folia. Em algumas cidades, a festa é até maior, começando já na sexta-feira e seguindo até a madrugada da quarta-feira de cinzas.

Saúde e disposição para aguentar essa maratona. Tem gente que começa à tarde e vai até o outro dia cedo, para só um pouco para descansar e já começa tudo de novo. Para não perder o ritmo, entram os famosos “kits ressaca”, cada vez mais comuns nas farmácias. Compostos de várias medicações combinadas, os tais kits prometem neutralizar os efeitos da noite de folia no organismo e recuperar o corpo o mais rápido possível para mais algumas horas de folia.

O problema é que, ao usar vários medicamentos ao mesmo tempo, é possível desencadear uma interação medicamentosa grave no corpo, levando a problemas de saúde bem piores do que uma ressaca.

Confira abaixo algumas combinações arriscadas, de acordo com o Conselho Federal de Farmácia:

• Analgésicos + álcool: pode causar irritação da mucosa do estômago, hemorragia gastrointestinal, tonturas e perda da coordenação motora.

•Antiácido + Contraceptivo oral (anticoncepcional): reduz do efeito do contraceptivo pela diminuição da absorção desde pelo organismo.

A superdosagem é outro agravante que pode prejudicar a saúde dos foliões. Se consumidos em doses além das recomendadas, medicamentos como o paracetamol (analgésico e antitérmico) podem causar lesões no fígado. Se for utilizado junto com anti-inflamatórios, a combinação, pode aumentar as chances de intoxicação.

Já doses muito altas de dipirona sódica (analgésico e antitérmico) podem causar alergias e alterações sanguíneas. E, se o medicamento ingerido em grande quantidade for o ácido acetilsalicílico (analgésico e anti-inflamatório), os sintomas possíveis são náuseas, vômitos, diarreia, dor de estômago, gastrite, hemorragia gástrica e urticárias. O uso prolongado e em dose excessiva pode predispor a danos renais. Outro risco é o de induzir crises em pacientes propensos a asma.

Precauções

Para evitar problemas, a professora de Farmácia da Wyden, e professora do IDOMED, Rayssa Bueno, defende a orientação profissional como a principal forma de utilizar os medicamentos e evitar problemas

“É preciso se informar. Converse sempre com o farmacêutico de plantão. A combinação de álcool e medicamentos traz riscos e a moderação, tanto no uso de álcool como no de medicamentos, pode salvar vidas”.

Siga nas Redes Sociais

5,000FãsCurtir
11,450SeguidoresSeguir
260SeguidoresSeguir
760InscritosInscrever

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas

Prouni: prazo para comprovar dados termina nesta terça-feira

Pré-selecionados na primeira chamada do Programa Universidade para Todos (Prouni) do primeiro semestre de...

Caixa libera abono do PIS/Pasep para nascidos em janeiro

Calendário de pagamento segue mês de nascimento ou fim do Pasep Cerca de 1,7 milhão...

Polícia Civil apresenta novo delegado regional de Chapecó

A nomeação do delegado Rodrigo Moura é estratégica para a instituição, pois vai permitir...

Intenção de consumo das famílias cai 0,5%

O indicador Intenção de Consumo das Famílias (ICF) caiu em fevereiro pelo terceiro mês...